sábado, 24 de setembro de 2011

Ando meio roto

Uma puta me deixa puto
Xinga-me de bruto
De estúpido de porco
(Porque ando roto)

E se não bastasse
(como se me preocupasse)
Por um pouco mais de prazer
Ela quase se mata
(pobre puta)
Pelo falso tesão
Que finjo ter
Pura enganação

Como acho certo mentir
Deixo tudo fluir
Mas isso tudo na verdade
É uma imensa saudade
Que ela tem, de me sentir

(amos)

2 comentários:

  1. Muito bons seus poemas, gostei.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que forte.
    Gostei muito do final.

    Um bom domingo.

    ResponderExcluir