sexta-feira, 6 de abril de 2012

Da última reza (cartas para .. .)

Uma parte do significante é um impossível
Circulante entre o superior caos mortal
Mesmo que essa direção leve para o sensível
E a outra direção seja para o racional

Existem elementos que exigiriam uma reflexão
Que esteja situado num meio caminho
Entre o real e a concreta ilusão
Seria impossível? A possibilidade de principiar um infinito

E dizer uma solução parece a desgraçada opressão
Escrever é uma absoluta (in)certeza de querer restaurar
De querer enfrentar tudo, da dura pena que é o infinito imaginar

A realidade, portanto repousa e reduz a dimensão
E deixa esse céu inútil, esse dia amargo para torturar
E cada noite sombria é a última quando a morte vem me visitar

(amos)

3 comentários:

  1. .....Mas o dom de escrever pode fazer outra pessoa sonhar....

    Um bom final de semana.

    ResponderExcluir
  2. Não farei nenhuma objeção à terceira estrofe.

    ResponderExcluir
  3. Saudações quem aqui posta e quem aqui visita.
    É uma mensagem “ctrl V + ctrl C”, mas a causa é nobre.
    Trata-se da divulgação de um serviço de prestação editorial independente e distribuição de e-books de poesia & afins. Para saber mais, visitem o sítio do projeto.

    CASTANHA MECÂNICA - http://castanhamecanica.wordpress.com/

    Que toda poesia seja livre!
    Fred Caju

    ResponderExcluir